MILONGA DE CRUZAR O ANO

(MILONGA)

Sapecada da Canção Nativa

Cruza o verão – mormaceira -

com laço e mata-bicheira.

- Que lua nas tardes largas! –

Metendo aos pouco em rodeio

os que vem novo de freio

mas já bem manso co’as garra.

 

O outono regula o ano.

Se cai geada temprano,

o campo sente, pois bem:

Perde estado a cavalhada,

se defende a terneirada

no trevo e no azevém.

 

Antes do meio do ano,

a balança sem engano

da valor à produção.

Terneiro cruza e pesado,

parelho e bem enlotado,

rende plata. Como não!

 

Com o inverno chegando

- maio pra junho virando –

parição das ‘Corredal’.

Pelo campo, as recorridas...

Cuidando vaca sentida

na volta do banhadal.

 

Setembro e a primavera...

e o serviço não espera

despejando a terneirada.

Olho vivo com novilha

que vai dar primeira cria,

pra ajudar as trancadas.

 

Repasse, esquila, alambrado,

descole e banho de gado,

fazer cavalo no campo...

A indiada pega parelho

- E só quem chora é o arreio –

sem domingo ou dia santo.

AUTOR(ES) DA LETRA:

FRANCISCO BRASIL
Bagé, RS

AUTOR(ES) DA MÚSICA:

KIKO GOULART
Lages, SC

FICHA DE PALCO


QUARTETO CORAÇÃO DE POTRO - Intérprete

Ricardo Bergha - Guitarron e Voz

Maicon Oliveira - Guitarra e Voz

Vitor Amorim - Guitarra e Voz

Kiko Goulart - Guitarra e Voz