MINHA MÃE

(Milonga)

Sapecada da Serra Catarinensa

DEPOIS DE NOITE LINDA,

PARA MEU DIA AMANHECER...

SOL NÃO LEVANTOU AINDA,

APENAS FOGÃO POR AQUECER.

 

CAMARGO DE APOJO GORDO...

SOVANDO MASSA DE PÃO;

SAINDO DA BOCA DOS FORNOS

LAGARTOS COM OLHOS DE FEIJÃO!

 

MADRUGADAS, QUANTOS SERÕES...

CHÁS, BENZEDURAS, ORAÇÕES;

EMBALADO EM TEU COLO, MAMÃE,

E NO ACONCHEGO DO CORAÇÃO.

 

NOS MEUS CHOROS E MEDOS,

AQUEBRANTANDO OS SONHOS,

TERMINAVA COM UM SEGREDO

TUA CANTIGA, NINANDO O SONO.

 

UMA RÉSTIA DO ENTARDECER

LUZ, CANDURA EM TEU SEMBLANTE;

TEU SORRISO A ENTERNECER

MINHA VIDA, QUE SEGUE ADIANTE.

 

Motivação

Esta obra foi inspirada na maternidade com o cuidado dos filhos, ao nascer do sol com "Camargo" de café da manhã até o envolvimento nos afazeres como brincadeiras, "sovando massa de pão". A sua maneira transmitem os valores da candura e alimentam a força que nos faz crescer expressando o simples e os valores do campo. Este tema traz uma singela homenagem as mulheres, nosso alicerce desde as primeiras horas de vida e para todo o sempre.

 

AUTOR(ES) DA LETRA:

Cassiano Eduardo Pinto
Lages, SC

AUTOR(ES) DA MÚSICA:

RAFAEL PUERTA (Rafael Vieira Wollinger)
Urubici, SC

FICHA DE PALCO


RAFAEL PUERTA - INTERPRETE

JUAN PABLO CARRANZA - CONTRA BAIXO

TAMMY OKADA - CLARINETE

ARTHUR BOSCATO - VIOLÃO

GEORGE LIMA - GAITA