TAVA CULERA

(chamarra)

Sapecada da Canção Nativa

HOJE  jogo a tava culera

E por mim que se de volta

Quem se prende e quem se solta

Ahorita no mas amor...

Se tu me quer, eu te quero!

Buenas tardes, prenda linda...

Buenas tardes, linda flor!

 

 

 

Contento, encilhei meu potro,

Com tapita no pelego.

Guapo overo azulego,

Com sebo na riñonada

Mocho e cola aparada

No que destapa o garrão,

Flor pampa do meu rincão

Nesta frontera sulina

Donde manojos de clinas

Não nos deixaram de herança,

Somente encorpando a trança

De uma melena de china!

 

Na bota de um potro zaino

A nazarena de prata,

E pra o sorriso da mulata

Um poncho da cor da lua,

Cardado pela xirua 

E rezado na benzedeira;

Um manto de lã campera

Tramado de sorte crua!

 

Buenas tardes, prenda linda...

Buenas tardes, linda flor!

Te saludo, assim menina,

Com versito, sou cantor!

 

Num frasco, canha com arruda,

Espantadera de azar.

Que é certo me vou jogar

No jogo mais traicionero;

Do coração cancioneiro

Coplita tiflada ao vento

Por isso me vou contento

Tranco manso de soltero!

 

Apeio nomás do pingo,

E já maneio com o pala

E até a cigarra se cala

Quando arrasto a nazarena,

A alma fica pequena

Pa no morirse de amor,

Buenas tardes, prenda linda...

Buenas tardes, linda flor!

 

AUTOR(ES) DA LETRA:

Rogerio Avila
Santana do Livramento, RS

AUTOR(ES) DA MÚSICA:

Carlos Augusto Bayan Madruga
São Leopoldo, RS

FICHA DE PALCO


Hígor Estremera - violão solo

Carlos Madruga - violão base

Ricardo Bergha - Interprete

Joaquim Velho - Gaita Botoneira

Rodrigo Maia - Contrabaixo

Maykell Paiva - violão solo