O BREVE DO AMOR INTENSO

(Milonga)

Sapecada da Canção Nativa

Prefiro o breve do amor intenso
que a imensidão de não saber querer
cuido o instante, mas pensando longe
até aonde, eu mal consiga ver...

Cada momento de silêncio a dois
é um gosto novo a nos provar guarida
porque o que é doce, pode ter amargos
e esta mistura, é que tempera a vida.

O transitório, me provoca a alma
o duradouro vai ao coração...
São dois sentidos, dentro de um instante
comprometidos, na mesma intenção.

Talvez por breve, é que nos arrepie
e por intenso, nos cause o espanto.
Por ser preciso, nos marque pra sempre
nos adoce a alma, e provoque o pranto.

Não são palavras que nos dizem isso
e talvez silêncios, nos falem verdades.
Quem sangrou o peito pelo fio da dor
não guarda os amores, pra eternidade.

Faço meus sonhos olhando distante
e sobrevivo, do que faço ou penso
não quero os olhos, de um querer eterno
pois prefiro o breve, do amor intenso...

AUTOR(ES) DA LETRA:

Paulo Henrique Teixeira de Souza
Lavras do Sul, RS

AUTOR(ES) DA MÚSICA:

Cícero Augusto de Souza Camargo
Pelotas, RS

FICHA DE PALCO


Nilton Júnior Silveira - Piano

Cícero Camargo - Intérprete e violão aço

Geovane Marques - Bateria

Leonardo Pinho - Baixo e vocal

Júnior Pereira - Violão nylon e vocal

Mano Jr - Acordeon