UM ZAINO NEGRO E UM AMOR

(MILONGA)

Sapecada da Serra Catarinensa

Um zaino negro e um amor

 

O que me resta é bem pouco,

Um zaino negro e um amor;

O potro eu quem domei,

E a paixão me domou. 

 

O Zaino carrega as dores,

De tanto que já andei;

A procura dos carinhos,

Que só agora eu achei.

 

Laço que fiz, foi para anca;

E a presilha arrebentou.

Pouco sei de trançar cordas;

Menos ainda de amor.

 

Sovei bastos, fiz cavalos,

Perdi as luas de enfrenar,

No serviço ajeito a doma,

No teu passo, aprendo amar!

 

Fiz um verso sem métrica,

Sem tino e fora da lei.

E um cantar desafinado,

Não sei como lhe conquistei.

 

Romance sem interesse,

Sincero, pleno e sonhador.

Se um dia o zaino padece,

Eu sigo a trote ao teu amor!

AUTOR(ES) DA LETRA:

Dudi Marafigo
Lages, SC

AUTOR(ES) DA MÚSICA:

Ricardo Oliveira
Lages, SC