BARRIGUEIRA

(MILONGA)

Sapecada da Serra Catarinensa

BARRIGUEIRA



CRUZO RASTROS E PICADAS,
TAL COMO CAMPO DOBRADO;
ESCUTO O MUGIR DO GADO,
E O RANGER DE "TANTO ARREIO".
ME ATENTO AO MASCAR DO FREIO,
D'ALGUM PINGO BEM DOMADO
…NO MEU VIVER APERTADO
JUNTO AO PÊLO DE UM OVEIRO.

ÀS VEZES DEPENDURADA,
“DIANTE AO OLHAR DOS GALPÕES”.
SEI DE PROZAS E REUNIÕES
ANUNCIANDO OUTRA JORNADA:
TALVEZ AQUELA INVERNADA
ONDE MORREU UM TERNEIRO…
QUEM SABE O CAMPO DO MEIO
ONDE ESTÁ A ÉGUA BRAGADA.

EU TAMBÉM ANDO JUNTINHO
DAQUELE PÊLO TOSTADO
QUE SEMPRE ME FAZ COSTADO
VIVENDO OS DIAS E AS HORAS.
“MAS NEGO A PUA DA ESPORA
QUE ME ESPINHA, SOFRENANDO;
E ENQUANTO ELA VAI CANTANDO”
É O MEU SEMBLANTE QUE CHORA.

AVISTO O VERDE DOS PASTOS
OS CASCOS LUTAR COM AS PEDRAS;
CONTEMPLO PELAS MACEGAS
O VOAR DE UM PERDIZ.
ESTOU JUNTO A CICATRIZ
D’UM FLETE MANSO DO ARREIO,
BEM ONDE PERDEU-SE O PELO
COM AQUELE SANGUE MATIZ.

EU CANSEI COM O FORCEJO”
N'ALGUM MANSO MAIS PESADO.
ANDEI "FROUXA" NOS DELGADOS,
OU COM NÓ PRA DAR APERTO.
“MAS ME AJEITAM  A PRECEITO,
OS QUE SABEM DA IMPORTÂNCIA
QUE CARREGO NAS DISTÂNCIAS
POR SEGURA E POR RESPEITO.


É MEU OFICIO DE BARRIGUEIRA
“DAR SUSTENTO AO ARREIO
APERTADA BEM AO MEIO
COM O LÁTEGO E O TRAVESSÃO
ANDO JUNTO EM COMUNHÃO
COM AS MAIS DISTINTAS PELAGENS
E TRAGO NA MINHA IMAGEM
UM CORPO FEITO EM ALGODÃO!

AUTOR(ES) DA LETRA:

Dudi Marafigo
Lages, SC

AUTOR(ES) DA MÚSICA:

Gabriel Maculan
Lages, SC
Ricardo Oliveira
Lages, SC